sexta-feira, 7 de agosto de 2009

VOO AO INFINITO


Sobrevoei o infinito à procura do Amor,
Fiz longo voo e depois encontrei-o.
Estiquei as asas e repousei em seu colo,
Recebi grande afeto e,enquanto durou,
Fui pássaro amado e correspondia.

Saboreei do que me fora dado,
Lambuzei o bico de alegrias
E as penas de prazer.
Provei do fruto da união,
Fiz um ninho acolhedor.

Voava em busca de alimento
Lembrando sempre de retornar,
Que agora eu tinha um alguém meu.
Mas ao chegar,entristeci-me.

Encontrei o meu pássaro morto!
Uma ave silvestre o matara.
E outra vez alcei voo ao infinito,
Um tanto ferida de morte,
De morte por dentro ferida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário