sexta-feira, 7 de agosto de 2009

NAS TECLAS DE UM PIANO


Pessoas de todos os lugares
Acenam para mim.
Mas eu não as conheço de verdade.
Me aproximo do futuro,
Sem ninguém saber de mim;
Qualquer dia desses apareço
Para você não me esquecer.

Ainda não encontrei a estrada da vida,
E ela continua a passar debaixo dos meus pés.
Às vezes consigo apertar com força
As teclas do piano.Mas me estatizo,
E não sinto mais nada,como se não importasse.

Não sei o por que da gente ser infeliz,
Eu fiz essa letra pensando nisso.
Para mim a vida não importa
Como importa para você.
Nunca aprendi a viver.

Cada um dos dias que eu vivi
Parecem não fazer nenhum sentido,
Viraram espuma,simplesmente.
Letras inacabadas e taças de champanhe
Brindam a minha independência
Nunca conquistada.

Depois de todo esse tempo
A vida não fez de mim o que eu queria.
Por enquanto estou presa
Num quarto de hotel com um piano,
E o horizonte ecoa o meu grito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário