sexta-feira, 7 de agosto de 2009

É ELA!É ELA!É ELA!É ELA!


É a minha amada,eu a vejo,
Entre as cortinas como neblina
O seu corpo róseo faísca
Entre as luzes do seu leito.

Eu a contemplo,eu a quero,
Mais e mais eu a desejo;
És tão bela na cortina
Da janela,à meia-luz.

Meu peito está suspirando
Mesmo sem ver a cara dela,
Hoje não passa nem ronca,
-é cinderela!

Quero vê-la mais de perto.
Aproximo-me da janela,
Espanto!É ela!é ela!é ela?
-errei,era seu pai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário